CARICATURAS AO VIVO EM FESTAS OU EVENTOS PARTICULARES, PROMOCIONAIS OU CORPORATIVOS

CARICATURAS AO VIVO EM FESTAS OU EVENTOS PARTICULARES, PROMOCIONAIS OU CORPORATIVOS
Procedimento: Após a contratação do serviço, o cliente deve efetuar o depósito referente a 50% (agendamento) do valor acordado pelas partes, na seguinte conta: JOAO CARLOS MATIAS DO NASCIMENTO Banco: CAIXA Agência: 3825 Local: ARMAÇÃO DOS BÚZIOS/RJ Conta: 013 00006663-5 " E ENVIAR O COMPROVANTE PARA O E-MAIL: cartunistacarioca@hotmail.com O valor restante (50%) deverá ser pago em "CASH" na apresentação/entrega do serviço. Caso seja evento de CARICATURAS AO VIVO, os 50% referente à entrega do serviço deverá ser pago "NA CHEGADA CHEGADA AO EVENTO", uma vez que, por conta de experiências anteriores, alguns clientes pagavam em cheque ou pelo fato de eu ter que esperar o final do evento para receber e os contratantes excediam o tempo limite de 04hs. PARA EVENTOS EM OUTROS MUNICÍPIOS/ESTADOS: Caberá ao contratante o pagamento referente ao deslocamento, alimentação e estadia (valores inclusos nos 50% do agendamento).

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

PIADA SEM GRAÇA

...

Outro mail que recebi hoje foi um enviado pelo companheiro Mello (Jaboticatubas/MG), com um assunto, no mínimo inusitado. Leiam o conteúdo:

TSE proíbe sátiras com candidatos

Humoristas e veículos de comunicação não podem fazer menção aos políticos
Você sabia que os programas de humor de rádio e televisão estão proibidos de debochar dos candidatos nessas eleições? Qualquer veiculação que se refere aos candidatos está proibida desde o dia 6 de julho pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A política, material farto para a sátira, tornou-se uma espécie de vaca sagrada, intocável. No auge da ditadura militar, o pessoal da farda não tinha lá muitos motivos para que rissem deles, mas, no final, às vésperas da Nova República, governo e políticos tornaram-se alvos preferenciais. Dona Solange Teixeira Hernandes, a doce senhora que personificava a censura oficial, fora afinal vencida.
Mas, hoje, nada explica não poder fazer graça com os políticos. Para os humoristas é como voltar a 30 anos atrás. A proibição está na Lei Eleitoral 9.504 de 1997. Ela diz que em época de campanhas eleitorais, os humoristas estão proibidos de usar qualquer artifício que ou degrade ou ridicularize os políticos.
Programas de TV, rádio, cartunistas que usam o tema político para o humor estão proibidos de utilizar para "brincar" com os candidatos até o fim do pleito.
O fato gerou indignação nos humoristas. O pai do "Menino maluquinho", o escritor e cartunista Ziraldo disse que, se algum companheiro for preso por fazer humor, irá depor a favor do colega sem nenhuma restrição.
A solução encontrada para contornar o problema é evitar quadros, charges e quaisquer referências aos atuais governantes e a quem busca uma das vagas na Presidência da República, governos estaduais, Senado e Câmara dos Deputados.
Portanto, até o fim das eleições, uma das atrações do "show" estará suspensa. A multa pode chegar a R$ 200 mil.

Publicado em: 12/08/2010 / Jornal Super Notícia – Belo Horizonte

...

Já os políticos, estão liberados para continuarem fazendo todo mundo de idiota e ridicularizando a todos, independentemente se são cartunistas ou não.
Ê Brasil!

5 comentários:

- Clayton Rabelo - disse...

blz, então vamos apostar caros colegas cartunistas, quem será preso primeiro rsrsrsrsrsrs, to correndo pra prancheta pra ridicularizar esses corruptos...

Mattias disse...

Agora sim! Justifica-se o nome "charge" e sua função, esquecida há muito tempo, por vários companheiros, que, depois do Pasquim, começaram a pensar que charge era apenas uma ilustração engraçada para o editorial ou um cartum, sem colocar o dedo nas chagas políticas.

"FAZER CARGA" é a principal função do chargista.

Abraço grande Clayton!

- Clayton Rabelo - disse...

Excelente Mattias ! ! ! !
é isso mesmo, ela não é uma mera ilustração tapa buraco, e quase sempre tem que atingir alguém sim, ou melhor, atingir seu objetivo doa o que doer, só assim será denominada charge.
Gde abraço

Silvério disse...

Mattias,
Ao longo desta minha curta vida de 40 anos eu nunca vi "político" depois de eleito fazer alguém rir, o que eles querem é que o povo continue na miséria, sem educação, sem emprego, e agora SEM SORRISO. Mas, não tem problema a campanha não dura p'ra sempre, depois vc's vão as forras.... ABRAÇO PARCEIRO.

Mattias disse...

Silvério, queridão!

Pois é...
Qualquer hora dessas, vou publicar aqui uns textos sobre a função e a desfunção do desenho de humor na atualidade.
Para definir melhor o que é a charge, somos os feiticeiros e as charges funcionam como vodus. Se todos nós chargistas conseguirmos dars umas "agulhadas" bem dadas, uma hora os políticos sentirão. E aí o vodu terá dado certo.
Risos

Abraço grande!!!