CARICATURAS AO VIVO EM FESTAS OU EVENTOS PARTICULARES, PROMOCIONAIS OU CORPORATIVOS

CARICATURAS AO VIVO EM FESTAS OU EVENTOS PARTICULARES, PROMOCIONAIS OU CORPORATIVOS
Procedimento: Após a contratação do serviço, o cliente deve efetuar o depósito referente a 50% (agendamento) do valor acordado pelas partes, na seguinte conta: JOAO CARLOS MATIAS DO NASCIMENTO Banco: CAIXA Agência: 3825 Local: ARMAÇÃO DOS BÚZIOS/RJ Conta: 013 00006663-5 " E ENVIAR O COMPROVANTE PARA O E-MAIL: cartunistacarioca@hotmail.com O valor restante (50%) deverá ser pago em "CASH" na apresentação/entrega do serviço. Caso seja evento de CARICATURAS AO VIVO, os 50% referente à entrega do serviço deverá ser pago "NA CHEGADA CHEGADA AO EVENTO", uma vez que, por conta de experiências anteriores, alguns clientes pagavam em cheque ou pelo fato de eu ter que esperar o final do evento para receber e os contratantes excediam o tempo limite de 04hs. PARA EVENTOS EM OUTROS MUNICÍPIOS/ESTADOS: Caberá ao contratante o pagamento referente ao deslocamento, alimentação e estadia (valores inclusos nos 50% do agendamento).

quinta-feira, 17 de junho de 2010

PROTESTANTES X CARTUNISTAS

...

A ACB - Associação dos Cartunistas do Brasil, o IMAG- Instituto Memorial das Artes Gráficas do Brasil e a SIB - Sociedade dos Ilustradores do Brasil está conclamando os desenhistas a realizar um protesto contra o Salão Internacional de Humor de Piracicaba, o mais tradicional do País.

A razão está ligada à exoneração e ao afastamento, em janeiro deste ano, de Maria Ivete Araújo (Zetti) do cargo de coordenadora do evento, que ocupava havia três décadas.

Desde então, as entidades de classe tentaram, sem sucesso, reverter a decisão. E, quando souberam que isso seria impossível, passaram a exigir apenas uma carta da prefeitura de Piracicaba admitindo o valor de Zetti nesses anos de trabalho e recompondo sua condição de ordenado anterior à exoneração.

Como novamente não houve êxito nas negociações, as entidades decidiram conclamar os desenhistas para o protesto, que acontecerão de junho a agosto de 2010, na abertura do Salão.

Confira abaixo a íntegra da carta assinada pelos presidentes da ACB, do IMAG e da SIB.

Sobre o caso Zetti - Salão de Piracicaba

Caros desenhistas,

Segue a cronologia sobre o caso do protesto das entidades e cartunistas pela forma como a diretora do Salão, Maria Ivete Araújo (Zetti) foi exonerada de sua função, depois de 30 anos trabalhando no Salão de Humor de Piracicaba.

Dezembro de 2009 - Zetti é exonerada do cargo de diretora do Salão Internacional de Humor de Piracicaba entre o Natal e o ano novo, pelo secretário-substituto, durante as férias da secretária de cultura Rosângela Camolese.

Janeiro de 2010 - Site BrazilCartoon inicia protesto com charges de cartunistas brasileiros e estrangeiros.

22 de janeiro de 2010 - ACB, IMAG e SIB enviam carta ao prefeito de Piracicaba, Barjas Negri, e vereadores em protesto à forma como a Zetti foi exonerada, explicitando uma forma de humilhá-la em vez de homenageá-la após 30 anos de trabalho no Salão.

A carta teve mais de 200 assinaturas de cartunistas e ou personalidades que, de alguma forma, participaram do Salão nesses 36 anos de sua existência.

2 de fevereiro - Não há qualquer resposta à carta enviada. Há novo envio para o mesmo email da prefeitura.

24 de fevereiro - Encontro, na Fiesp, com o presidente do conselho do Salão Internacional de Humor de Piracicaba, Ricardo Viveiros, para cobrar da prefeitura uma posição sobre o caso e a carta enviada.

Nessa ocasião, o conselho apenas nos passou que, em reunião com a secretária, no final de 2009, ela lhes passou que iria exonerar Zetti do cargo.

Por sua vez, a secretária deu entrevistas dizendo que foi o conselho quem pediu a saída de Zetti (sic). O conselho, então, se absteve de entrar na polêmica.

20 de abril - Comunicado recebido da assessoria de imprensa da secretaria de ação cultural dizendo que a carta-resposta do prefeito para as associações estava no site da prefeitura. Para encontrá-la, é necessário colocar a palavra "cartunista" na procura. A carta é evasiva ao problema de Zetti.

26 de abril - Encontro em São Paulo com o presidente atual do Salão, Luiz Fagundes; o novo diretor do Salão, Edu Grosso (ele ficou no lugar da Zetti) e duas funcionárias da secretaria, além de Orlando Pedroso (SIB), Gualberto Costa (IMAG) e Jal (ACB).

Última tentativa de um acordo. Na reunião há a proposta das associações em não pedir mais a volta de Zetti ao Salão, mas exigir uma carta da prefeitura dizendo do valor de Zetti nesses anos de trabalho e recompondo sua condição de ordenado anterior à exoneração.

30 de abril - Carta do presidente do Salão diz que a carta será feita (foi enviada pela assessoria da secretaria no dia 3 de maio), mas que a recomposição da Zetti dependia de um processo interno.

Há um convite para uma conversa das entidades com a Secretária Rosângela Camolese, que não aconteceu.

3 de maio - Carta (nota do UHQ: ressaltando a importância de Zetti para o evento) enviada pela secretária após nossa reunião com o atual presidente do Salão Luiz Fagundes.

19 de maio - Nova carta das associações a Luiz Fagundes dá o prazo até 31 de maio para que a Prefeitura e Salão deem uma solução concreta ao caso.

9 de junho - Não há resposta alguma do presidente ou da prefeitura até o presente momento.

Esgotadas todas as possibilidades de diálogo, estamos convocando todos os cartunistas para um amplo protesto pelo retorno da democracia ao salão e pelo poder de voz dos cartunistas.

As formas de protesto foram amplamente discutidas e todas são válidas. Cada desenhista poderá escolher a maneira como fará o seu protesto.

Os protestos acontecerão de junho até agosto de 2010, na abertura do Salão.

Os cartuns, charges, caricaturas e quadrinhos sempre foram a razão e base de todo e qualquer salão e há de se ter respeito pelos desenhistas que vivem e alimentam essa forma de expressão. Sem cartunistas, o Salão perde o sentido.

Representante (IMAG) , Representante (ACB), Representante (SIB)

...

Minha visão continua a mesma em relação aos fatos. Concordo que a Zetti tenha desempenhado um papel importante no desenvolvimento proposto pelo Salão Internacional de Piracicaba, mas não vejo o afastamento dela como algo que necessite do desgaste de uma classe, que já vem sendo sucateada há algum tempo com a falta de suporte de entidades que - em tese - deveriam auxiliar todo e qualquer salão de humor em território nacional.

Interessante ao meu ver, seria se as instituições promovessem a conscientização da "não política" nos eventos, elaborando regras distintas para as análises e os julgamentos dos trabalhos. Por qual motivo as entidades competentes ainda não criaram recursos ou promoveram eventos para que salões como: Carioca, Piauí e outros fossem reestruturados?

Vejo como "imprudente", quando àqueles que promovem o protesto, sugerem: "As formas de protesto foram amplamente discutidas e todas são válidas. Cada desenhista poderá escolher a maneira como fará o seu protesto." Ovos? Tomates? Paus? Pedras? Armas? Ou quem sabe um cartunista enfiando a pena de nanquim na garganta de alguém que o tenha contrariado...

Acredito que ss mudanças sejam realmente necessárias e que essa nova geração de cartunistas tem que promovê-las mesmo. Através de seus trabalhos qualitativos e da quebra de paradigmas propostos por uma geração que, depois da ditadura militar, perdeu parte de sua ideologia. Hoje, ao invés de combaterem políticas, fazem alianças e no final, cabe aos salões os hematomas resultantes das brigas.

Trabalho como ilustrador profissional desde 1993 e jamais fui abordado por qualquer associação ou entidade representativa, com o intuito de me auxiliar em qualquer coisa. Até mesmo em curiosidades sobre a profissão.

Da última vez que estive em Piracicaba, uma turma de "estrelas" brindavam "separadamente" em um dos ambientes do Engenho Central, onde confraternizavam entre sim, como se fossem imagens sacras em suas berlindas. Depois, em um hotel chique bem próximo dali, um jantar era oferecido pelo salão a artistas renomados, que haviam sido premiados naquele ano, em anos anteriores e alguns que nunca foram premiados mas eram amigos dos amigos. Enquanto vários companheiros que poderiam, estar ali ou em qualquer outro lugar, mas com àquele grupo, compartilhando idéias, se viravam pelas ruas da cidade, atrás de barraquinhas de cachorro-quente e indo dormir na rodoviária, porque já haviam gasto demais com passagens para prrivilegiar o salao. Como eu e alguns companheiros cansamos de fazer.

As propostas não são voltadas para cartunistas? Por qual motivo o privilégio somente para alguns?

Querem uma sugestão? Ao invés de promoverem boicotes, criem uma Casa do Cartum em cada cidade onde haja um salão de humor, que funcione durente o ano como núcleo para oficinas de desenho de humor e nos períodos de salao funcione como alojamentos para cartunistas de outros estados ou países, que privilegiarem o evento ao invés de promoverem núcleos distintos para os "deuses do cartum", "semi-deuses do cartum e os "cartunistas mortais".

Conscientização sobre o trabalho desenvolvido pela Zetti nem precisa, pois o tempo de trabalho desenvolvido por ela junto ao salão já é argumento. Assim como o remanejamento de qualquer funcionário em qualquer instituição também é.

A não ser que queiram transformar o Salão Internacional de Piracicaba numa Academia Brasileira de Letras, onde o acadêmico tem cadeira vitalícia e o título de imortal.

Vamos às pranchetas que esta é a única maneira de conseguimos mantermo-nos vivos em meio a essa antropofagia do cartum, temperada com muitos ingredientes políticos.

Selva!

...

Viva o Salão Internacional de Humor de Piracicaba!

19 comentários:

- Clayton Rabelo - disse...

É isso ai gde Mattias, viva o Salão de Pira... O natural da vida é isso, tudo está em permanente mudança, é preciso morrer uns pra nascerem outros! E que se danem os "dinossauros do cartum" que pensam em boicotar o salão, tentando assim influenciar outros desenhistas que não tem rabo preso com ninguém. Eles assim só estão demonstrando o que a gente suspeitava à algum tempo: "Esqueceram de decidir as coisas na prancheta, e se acostumaram a decidir nos bastidores."

- Clayton Rabelo - disse...

Errata: no comentário que enviei, entenda-se "Deuses do cartum" ao invés de "Dinossauros do cartum", pois acho que esse adjetivo cai melhor, pois pra se achar Deus, não precisa ter experiência, nem idade, e muito menos ter um trabalho bom.

Junior Kadeshi disse...

Perfeitas colocações Mattias. Parabéns!

Mattias disse...

Como se o Salão não tivesse vida própria e força suficiente para evidenciar novos valores.
Com toda movimentação e corrente contrária proposta ao desenvolvimento do salão, o evento acontecerá, o salão continuará e depois as pessoas vão descobrir que os tempos são outros. Que está surgindo uma geração de cartunistas brasileiros que analisam, além de desenhar muito bem.
Viva a renovação!

Salão de Humor de Piracicaba disse...

Mattias

Belíssimo post. Um abraço!

Mattias disse...

Salve Kadeshi! Obrigado pela participação no blog.
Abraço.

Mattias disse...

Salão de Pira, valeu!

Salão de Humor de Piracicaba disse...

Estamos aguardando os seus tabalhos!
Abs

Paulo Emmanuel disse...

Fala grande Mattias,

Manito áreazinha complicada e melindrada sujeita a fortes emoções. Acompanho como todo mundo, protestei contra a saida da Zetti. Esse foi o meu limite. Considero que a instituição Salão Internacional de Humor de Piracicaba deve ser preservada. Protestos feitos com bom senso acho até legal, mas nada que extrapole a dignidade da instituição.
As políticas existem e sempre existirão. O que foi feito já aconteceu e e acho que mudanças hão de acontecer e sempre esperamos uma boa administração e sequência coerente na realização do evento e aposto que todos envolvidos pensam assim. Como vc mesmo disse a Zetti está na história do salão. Eu acho que haverá uma forma de resolver esta questão. Mas espero que nada disso tire o brilho de Piracicaba. Sem querer me alongar muito,parabéns pelo texto. Me lembrei de algumas coisas que vivi uns anos atrás. Me lembrei de uma carta que meu amigo Versales me mandou certa vez em relação ao HQMIX


"... Da última vez que estive em Piracicaba, uma turma de "estrelas" brindavam "separadamente" em um dos ambientes do Engenho Central, onde confraternizavam entre si, como se fossem imagens sacras em suas berlindas. Depois, em um hotel chique bem próximo dali, um jantar era oferecido pelo salão a artistas renomados, que haviam sido premiados naquele ano, em anos anteriores e alguns que nunca foram premiados mas eram amigos dos amigos. Enquanto vários companheiros que poderiam, estar ali ou em qualquer outro lugar, mas com àquele grupo, compartilhando idéias, se viravam pelas ruas da cidade, atrás de barraquinhas de cachorro-quente e indo dormir na rodoviária, porque já haviam gasto demais com passagens para prrivilegiar o salao. Como eu e alguns companheiros cansamos de fazer..." ( Mattias)

belo e sincero depoimento caro Mattias.

Longa vida a Piracicaba

Paulo Emmanuel

Zé Roberto Graúna disse...

Para mim está clara a posição de quem assina o documento sobre a questão de "que cada cartunista pode protestar como achar melhor". Obviamente, que qualquer um que tenha QI de ameba sabe que cartunista só protesta com cartum, caricaturista com caricatura, chargista com charge, e por aí vai. A "idéia" conclusiva de que pode-se esperar ovos, tomates ou outras saladas, me parece irreal, assim como a "coisa" de usar um bico-de-pena como arma branca. Entendo que pode-se realmente discordar da carta, mas meu amigo Mattias, seu comentário não corresponde à realidade de quem assinou a carta. Abraço!

Raquel Marques disse...

De Zero a 10 quanto vale o Renomado salão de Humor de Piracicaba "Para os Deuses do Cartun"?. Pelo que vejo esses 37 anos não tiveram nenhum valor para eles e acredito que tb esqueceram de como foi que eles começaram.
Minha sugestão é alguem fazer um carton deles cuspindo no prato que comeram.
Salão de Humor vc é maior que todos eles....To Dentro!!!!!!!

Thiago Romano disse...

Quantas vezes participei do salão e ouvia diser que era preciso de uma renovação por parte de quem administrava.Agora que aconteceu porque esse PROTESTO?????Não estou entendendo nada.

Danilo Araujo disse...

Fiquei sabendo que o premio já aumentou....Não sei se é verdade, se for,as coisas já começaram a mudar....Manda esse boicote para lua, vamos participar!!!!!!

Augusto Mattos disse...

Esse dias passei por Piracicaba quando fui para um Casamento.Visitei o Centro Nacional de Humor no Engenho Central.Vcs não imaginam que exposição fantastica de Futebol que esta acontecendo lá. Conheci o Diretor Edu Grosso. Gostei do cara: Discreto, centrado e impenhado em mudanças as quais ja notei.Esse boicote ta me parecendo mais um corporativismo....Pensem nisso antes de tomar qualquer decisão.

Anônimo disse...

Boicotar um cartunista na direção do Salão? A propria associação? Só nesse país mesmo....isso é piada pro salão!!!!!

Mattias disse...

Salve Paulo Emmanuel!

Sou um admirador dos salões e entendo que todos precisem de reformulações em alguma questão. Uns mais outros menos. Mas todos orecisam se reciclar e tomara que Piracicaba, pelo fato de ser àquele que traz consigo a responsabilidade de ostentar o baluarte dos salões de humor no Brasil, seja seguido por outros e que as mudanças aconteçam.
Mais uma vez, obrigado por tua participação.
Grande abraço

Mattias disse...

Sei não heim Zé... Talvez meu QI tenha diminuido, porque no meu entendimento, desde que os protestos começaram ainda não vi - efetivamente e sem pretensões políticas - qualquer cartum feito em relação ao fato.
O bacana é essa possibilidade da exposição de opiniões divergentes.
Abraço

Mattias disse...

Raquel, concordo contigo... Depois que sugaram os leites das belas tetas, querem mordê-las ou sugar o sangue agora. Abraços

Valeria disse...

Gostaria de colocar minha opinião,não sou artista do humor gráfico, mais hoje faço parte da equipe da organização do Salão de Humor de Piracicaba e a partir do momento em que comecei a trabalhar nesse projeto me apaixonei por esse mundo de criatividade e alegria que tem o poder de direcionar nossos olhos para enxergarmos, que mesmo o maior problema pode ser visto com humor. Esses grandes artistas tem o poder desbloquear a raiva dentro da gente e assim acharmos a solução ideal.Não vejo essa situação onde exista 2 lados o certo e o errado,apenas acho que a comunicação é o grande lance para fazermos HUMOR e não guerra.O que eu falo não é nenhum discurso político é que eu ainda não desisti de acreditar no ser humano. Bjs a todos