CARICATURAS AO VIVO EM FESTAS OU EVENTOS PARTICULARES, PROMOCIONAIS OU CORPORATIVOS

CARICATURAS AO VIVO EM FESTAS OU EVENTOS PARTICULARES, PROMOCIONAIS OU CORPORATIVOS
Procedimento: Após a contratação do serviço, o cliente deve efetuar o depósito referente a 50% (agendamento) do valor acordado pelas partes, na seguinte conta: JOAO CARLOS MATIAS DO NASCIMENTO Banco: CAIXA Agência: 3825 Local: ARMAÇÃO DOS BÚZIOS/RJ Conta: 013 00006663-5 " E ENVIAR O COMPROVANTE PARA O E-MAIL: cartunistacarioca@hotmail.com O valor restante (50%) deverá ser pago em "CASH" na apresentação/entrega do serviço. Caso seja evento de CARICATURAS AO VIVO, os 50% referente à entrega do serviço deverá ser pago "NA CHEGADA CHEGADA AO EVENTO", uma vez que, por conta de experiências anteriores, alguns clientes pagavam em cheque ou pelo fato de eu ter que esperar o final do evento para receber e os contratantes excediam o tempo limite de 04hs. PARA EVENTOS EM OUTROS MUNICÍPIOS/ESTADOS: Caberá ao contratante o pagamento referente ao deslocamento, alimentação e estadia (valores inclusos nos 50% do agendamento).

terça-feira, 1 de junho de 2010

S.O.S. CARTUNISTAS


Impressionante como tem companheiros que conversam comigo sobre seus descontentamentos e não explicitam suas opiniões publicamente.
Com medo do quê? Ou de quem?

De qualquer forma, vou expor o que converso com muitos deles.

Eu entendo que hoje, haja uma corrente de interesses entre os presidentes de portais - não sei se por troca de favores, permanência na mídia ou manutenção de egocentrismo - onde os camaradas aparecem em vários lugares e eventos, como se existissem apenas essa confraria.
Criam um maldito network, onde brincam de criar ou destruir cartunistas como se manipulassem produtos.
Hoje, pelo menos 15 companheiros me abordaram online e expuseram seu cansaço em relação a esta prática. Alegando que no EcoCartoon haviam muitos trabalhos que os mesmos já haviam visto anteriormente.

Fico tentando imaginar, o que esees camaradas, bem sucedidos, donos de prestígio junto aos políticos de suas cidades e países, empresários bem sucedidos esperam com propostas onde seus interesses pessoais estejam acima de qualquer coisa, quando estão nas comissões julgadoras. Enquanto muitos dos nossos companheiros buscam apenas o respeito aos seus trabalhos na hora da análise, vislumbrando pelo menos a inserção de seus trabalhos nos catálogos editados pelos salões.
Li hoje, de muitos companheiros o interesse em parar de produzir trabalhos para salões e, pelo menos para mim, isso traz uma angústia muito grande. Pois estes mesmos companheiros, também não conseguem entrar no mercado editorial, nem nos portais voltados para o desenho de humor. Oras! Como se jão não bastasse a censura velada imposta pelos portais, os mesmos censores agora dão as cartas em vários salões de humor e promovem os trabalhos de seus "amigos" (às vezes, até dois trabalhos ou mais na mesma categoria).
O que será que as comissões organizadoras imaginam? Que se estas pessoas não participarem de seus eventos, os mesmos não terão credibilidade ou adesão desejada?
...
Este fato será observado no Salão Internacional de Piracicaba deste ano. Que, mesmo havendo tanta política contrária (inclusive de cartunistas), se realizará e mostrará que, basta que hajam três participantes em cada categoria para que sejam aclamados primeiros, segundos e terceiros lugares. Hoje, basta que hajam três cartunistas concorrendo ( caso haja apenas uma modalidade com três premiações ) para que aconteça um concurso de humor.
As pessoas precisam entender que, com esta ferramenta chamada internet, o marketing de rede dispensa a necessidade de se tornar refém de qualquer instituição ou pessoa.
...
Passei boa parte da minha curta carreira profissional observando sites como Fanofunny e WhittyWolrd, que abordavam muitas coisas sobre salões de humor. De repente, surge o IranCartoon, o Tabriz e outros portais. E tão de repente quanto seu surgimento, há uma corrente para que acreditemos que o portal verde seja o melhor do mundo. Peraí...
Ainda que o portal iraniano hoje seja uma das referências na linguagem do desenho de humor mundial, não existe necessidade de nenhuma instituição ou cartunista se tornar refém dele.
Publicar lá ou não (assim como nos portais daqui) não te fará de ninguém mais cartunista ou menos, que àqueles que publicam.

Sugestão? Criem seus blogs, sites, façam suas redes de contatos no Facebook, Orkut, Skype, M.S.N. e outras alternativas virtuais e esqueçam essa simbiose proposta por essa galera que provavelmente imaginam que a sua existência realmente dependa deles.

"NÃO DEIXEM DE PRODUZIR POR CAUSA DA ATITUDE DE NINGUÉM"

Pelo andar da carruagem, daqui a pouco vão dizer que para qualquer cidadão do mundo se tornar cartunista, terá que pedir permissão no Iran.
Não acreditem nisso!

...

Dia desses mandei um mail para a índia, com o intuito de enviar alguns trabalhos trabalhos para um portal. Acredito que pelo fato de expor minhas opiniões, uma companheiro que se julga ser o Marajá do Cartum sequer respondeu ao meu mail.
Nem o procurei novamente. Se a questão for pessoal, ele que enfie seu portal no olho do Taj Mahal. Não vou comer menos, nem mais por causa disso.

Os camaradas criam as propostas voltadas para a coletividade, mas no final das contas, eles decidem quem entra ou não. Assim os políticos vão ficar com inveja deles.

Abraços

2 comentários:

- Clayton Rabelo - disse...

Fala Mattias,
só quero dizer que vi, e ultimamente é bem comum:

1. Salões falarem que recebem nºx de trabalhos por categoria, e quando vc vai ver o catálogo, consta mais trabalho de fulano na mesma categoria, do que o regulamento permite, isso é fato.

2. Há trabalhos que vc encontra em alguns salões que foram premiados a anos atrás, ou então foram feitos á anos, já estão bem rodados, existem varios catálogos com o mesmo desenho, isso é fato tb.

3. Não é respeitado o cronograma de muitos salões, talves porque o amigo de fulano de tal não conseguiu se inscrever a tempo, e isso gera um desrespeito para os demais.

Isso acima, é o que vi.
Agora escrevo o que acho:

1. Muitos salões já perderam a credibilidade, já faz alguns anos devido a todos fatos que especifiquei acima.

2. Outros salões nascem se espelhando nesses que já perderam a credibilidade, talves haja outros interesses no meio.

Minha atitude quanto a isso:

Diminui o nº de salões que passei a mandar trabalhos. Não como uma forma de protesto ou birra, e sim pq não sou otário.

gde abraço a todos.

Mattias disse...

Salve Clayton!

Pois é... Depois acontece como no ano passado, quando foi veiculado no Diário de Piracicaba, a visão de cartunista envolvido com o salão de lá, onde ele afirmava que o cartunista brasileiro estaria ficando sem graça. Não é para menos!
O camarada passa horas desenvolvendo um trabalho para o concurso e aí vem outro cartunista que, pela sua desenvoltura política ou diversidade de contatos, manda uma obra que já fôra concorrente e "editada" em catálogo noutro salão... e havendo interesse, alguns membros da comissão julgadora fingem que não há nada de anormal e até o premiam.
O que está acontecendo é uma falta de credibilidade por parte de muitos dos nossos companheiros e muitos deles tem feito o que você, eu e mais alguns fazem: Selecionar os concursos os quais acreditamos.
E cada vez mais, como o outro companheiro disse lá ao jornal, vamos ficando mais sem graça.

Abraço grande!